Linha da vida: vive acima ou abaixo dela? | Conteúdos Paulo de Vilhena

Nos meus cursos, costumo falar de uma linha a que chamo “a linha da vida”. O facto de vivermos acima ou abaixo desta linha determina aquilo que conseguimos alcançar na vida. Este foi um princípio que aprendi com Brad Sugars.

Regra geral, tendemos a viver abaixo da linha! Porque, de alguma maneira, somos condicionados a fazê-lo pela nossa família, sociedade e ambiente onde nascemos e crescemos.

E quando é que vivemos abaixo da linha?

Cada vez que encontramos uma desculpa para aquilo que não aconteceu e devia ter acontecido. Sempre que dizemos que a culpa é da economia, das circunstâncias, da escola onde andámos, do sol, da chuva, do passar das estações do ano… o que quer que seja…. Cada vez que arranjamos um álibi para alguma coisa que não correu da forma como queríamos, criamos condições para nunca sermos bem-sucedidos.

Quando dizemos que uma entrega não foi feita porque alguém no processo não fez o seu trabalho. Ou que a vida está mal porque os últimos ministros deram cabo disto tudo. Sempre que arranjamos culpados também estamos a viver abaixo da linha.

E estamos ainda a fazê-lo quando nos encontramos em negação. Quando nos recusamos a ver a vida tal e qual como ela é – o que por sinal fazemos muito! Até falarmos verdade sobre a nossa realidade, até termos a coragem de fazer um balanço com os nossos ativos e passivos, nós não teremos o poder de agir sobre a nossa vida!

Portanto, enquanto nós formos encontrando justificações para aquilo que está a acontecer (e que não devia estar a acontecer), nada vai correr da forma que nós pretendemos.

Enquanto vivermos abaixo da linha não conseguiremos ser bem-sucedidos naquilo que desejamos.

Seremos apenas VÍTIMAS!

Porque viver a vida abaixo da linha é acreditar que aquilo que acontece à nossa volta determina aquilo que acontece na nossa vida e no nosso futuro. E não compreender a lei da causa efeito é não compreender que temos o poder de assegurar determinadas causas e consequentemente alguns efeitos.

Mas felizmente nós também temos o poder de nos comportarmos acima da linha, ou de nos recondicionarmos para nos comportarmos acima da linha. Porque nós não nascemos assim, nós aprendemos a ser assim, porque vimos ser assim à nossa volta.

E, por isso, se aprendemos a encontrar desculpas, a arranjar culpados e a viver em negação, podemos aprender exatamente o contrário e passar a viver acima da linha!

Então como vivemos acima da linha?
Em primeiro lugar, sendo responsáveis

Eu costumo dizer que se eu pudesse ensinar apenas um princípio de sucesso aos meus filhos seria o princípio da responsabilidade. E o que é ser responsável? É entender que o que quer que tenha acontecido (bom ou mau) foi fruto das decisões tomadas por mim. Se o resultado é bom, ótimo. Se não é bom, temos de perceber que da próxima vez temos atuar de maneira diferente, porque se fizermos as mesmas coisas, vamos continuar a ter os mesmos problemas.

Em segundo lugar, vivendo em propriedade

Ou seja, temos de assumir a nossa vida e perceber que boa ou má fomos nós que a fizemos. O princípio da propriedade permite-nos também lançar um olhar sobre o futuro. Quando vivemos em culpa, vivemos com um olhar sobre o passado. E a propriedade dá-nos o poder de mudar o futuro. Não interessa o passado, de onde vimos, ou aquilo que aconteceu para trás… as decisões que tomarmos hoje podem influenciar o nosso futuro positivamente.

Em terceiro lugar, a prestação de contas

Temos de ser capazes de responder pelas decisões que tomámos.

Portanto, estes são três princípios fundamentais que nos fazem viver acima da linha da vida e nos podem tornar pessoas de sucesso.

Gostou deste artigo? Se quer receber quinzenalmente conteúdos como este subscreva a nossa newsletter aqui!

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notifique-me se