Imaginem uma canoa com dois atletas. Um rema para a frente e o outro para trás. Qual será o resultado? Provavelmente aquela canoa não vai sair do mesmo sítio por mais esforço que os dois canoístas façam.

Imaginem agora um hamster dentro da sua roda de exercício. Por mais que ele se esforce também não consegue sair do mesmo sítio.

Desde pequena, sempre me ensinaram que a vida não era fácil. Que não se conseguiam atingir resultados sem esforço. Que tudo na vida teria de ser conseguido com muito trabalho e dedicação árdua.

Hoje olho para trás e percebo que aquela foi uma lição útil porque, na vida, é realmente importante estarmos disponíveis para fazermos esforços. Só aceitando desafios e fazendo coisas a que não estamos tão habituados é que podemos ir além dos nossos limites, dando o nosso melhor em tudo aquilo que fazemos.

É importante estarmos disponíveis para aprender coisas novas e para, de uma forma contínua, nos avaliarmos e melhorarmos.

No entanto, percebo hoje que não me explicaram talvez o ponto o ponto mais importante.

Só o esforço não é suficiente! 

É fundamental perceber que resultados procuro, qual é o meu propósito e ir constantemente avaliando se o meu esforço me está a levar realmente a percorrer o caminho que ambiciono.

Quando trabalho dentro de empresas entrevisto várias vezes os colaboradores, para analisar o estado da organização, a sua motivação e situação laboral, e quase todos se sentem sempre muito injustiçados.

Na maioria dos casos, sentem que se esforçam muito e que não são devidamente reconhecidos pelo chefe e pela empresa em geral. Sem questionar o seu esforço, porque acredito sempre que é verdade, pergunto às chefias qual o resultado que a empresa espera dos colaboradores e se estes estão a corresponder a essa expetativa. E as respostas são sempre muito interessantes e muito reveladores da nossa realidade empresarial.

A maioria dos entrevistados diz-me não saber o que a empresa pretende deles. Outras até sabem, mas reconhecem que, embora se esforcem muito, os colaboradores nem sempre conseguem atingir os resultados.

Então… se os colaboradores não sabem o que a empresa espera deles ou não estão a entregar esses resultados, porque pensam que devem estar a ser reconhecidos?
Porque se estão estão a esforçar… e muito! …

Será que isto faz sentido?!

Na verdade esta é uma história bastante comum nas nossas vidas. Todos nós já passámos por alturas em que chegamos ao final do dia exaustos e com muito pouco trabalho entregue. E porquê? Porque sempre fomos ensinados que o que é valorizado é o esforço e, por isso, nem sempre nos preocupamos com o resultado.

A grande limitação dos nossos dias é o nosso tempo e a nossa energia. Por isso, cada vez mais penso que o mais importante é pormos valor no nosso esforço. É aprendermos a rentabilizar a nossa hora e o nosso esforço da melhor forma possível. É alinharmo-nos de acordo com o nosso propósito e verificarmos através de indicadores objetivos que nos estamos a aproximar dele.

É essencial também ir tirando aprendizagens ao longo do caminho para aprimorarmos os nossos procedimentos em busca de ser cada vez melhores todos os dias.

Portanto, é importante fazermos esforços, mas aplicados da melhor forma possível para assim realmente maximizarmos a nossa produtividade.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notifique-me se