O que Jack Welch nos ensinou sobre Gestão | Paulo de Vilhena

Jack Welch é por muitos considerado o maior gestor da história. Foi o mítico gestor da General Electric. E sabe qual é a forma mecânica como Jack Welch toma decisões de gestão? Qual é a prática que ele considerou ser a mais importante na gestão de uma empresa?

PRATICAR DIFERENCIAÇÃO 

Ou seja, é não tratar todos os colaboradores da empresa da mesma forma.

 

E como o fazem na prática?

Na General Electric passa por avaliar periodicamente todos os níveis hierárquicos da empresa. De dois em dois anos, todos os colaboradores são avaliados individualmente. Todos sem exceção, incluindo os do nível de presidente.

Ora, cada colaborador é avaliado segundo uma grelha de critérios que é perfeitamente conhecida por toda a gente. Depois é distribuída essa avaliação numa curva normal estatística.

É assim identificado se esse colaborador está nos 10% de pior performance daquele nível hierárquico, se está nos 70% em torno da média ou se está nos 20% do topo de performance desse mesmo nível hierárquico.

 

O que acontece aos melhores e aos piores?

Os que estão no top 20% são premiados com bónus muito fortes.

Os 70% da média são beneficiados também com bónus e é-lhes dado um plano de desenvolvimento profissional para que se possam aproximem dos 20% .

E aos últimos 10% é-lhes deixado muito claro que estão abaixo das expetativas. É-lhes dada a possibilidade de entrar num programa de desenvolvimento pessoal e profissional para chegarem aos valores médios, mas é-lhes também deixado muito claro que se não se aproximarem daqueles valores médios no prazo de dois anos terão de encontrar uma nova alternativa profissional.

Isto acontece porque a General Electric e Jack Welch tinham consciência de que uma equipa se move sempre em torno da média. 

É como se a média fosse um íman. E porquê? Porque há um fenómeno estatístico que é exatamente o de convergência para a média que faz com que as duas pontas da curva normal sejam atraídas pelos valores médios dessa mesma curva. Então essa convergência para a média faz com que esta funcione como um íman.

Para deslocarmos a performance da empresa no sentido positivo, nós temos de eliminar os 10% menos bons. Isto para que essas pessoas deixem a média progredir positivamente, levando os restantes colaboradores da equipa numa performance mais elevada.

Repare que a General Electric faz isto em todos os níveis hierárquicos. Isto significa que quase 20 presidentes, considerados o supra sumo a nível mundial, saiam da empresa a cada dois anos.

Esta é a forma que eles encontraram para fazer com que a média suba constantemente e com que os níveis de baixo saibam sempre que podem progredir.

Portanto, DIFERENCIAÇÃO nas palavras de Jack Welch é a prática mais importante na gestão de uma empresa.

É aquilo que faz melhorar a empresa, fazendo progredir as equipas.

 

Mas ATENÇÃO 

A General Electric realiza todo este processo de uma forma perfeita e absolutamente mecânica.

No seu caso, na gestão da sua empresa, vai ter que temperar esta ideia de praticar diferenciação de acordo com aqueles que são os seus valores. Não há certos nem errados, há aquilo que nos achamos que serve para nós e para a nossa empresa. Lembre-se disso.

Gostou deste artigo? Se quer receber quinzenalmente conteúdos como este subscreva a nossa newsletter aqui!

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notifique-me se