Diversão | O melhor no ciclo de vida do negócio - Artigos Paulo de Vilhena

Quando conseguimos ultrapassar a luta inicial, assegurando o dinheiro para tirar um pouco a pressão de cima e também a existência de um mercado que começa a receber de forma continua a nossa oferta entramos na fase de diversão.

Agora podemos concentrar-nos acima de tudo em conseguir aumentar as vendas.

E esta fase é muito divertida e estimulante.

Nesta fase crescemos e, muitas vezes, não sabemos exatamente como, nem porquê… E temos até medo de perguntar! As coisas parecem estar a correr muito bem e é melhor não mexer muito não se vá estragar.

Nesta altura, a empresa tende a crescer à volta do departamento comercial. Tudo se organiza para se poder vender cada vez mais e entregar aquilo que se está a vender. É também nesta etapa que a empresa acumula alguma gordura. O aumento significativo das vendas obriga a investimento que resultará inevitavelmente em alguma ineficiências.

O eventual aparecimento de prima-donas

Ainda assim é também a fase em que algumas prima-donas são criadas nas empresas. São os Colaboradores de alta produtividade que se destacam entre os outros e a quem devemos uma parte importante do nosso crescimento.

Muitas vezes, é o próprio Empresário que ao ver o seu ego massajado pelos resultados se julga invencível, se confunde com a própria empresa e tem dificuldade em reconhecer a importância de alguns colaboradores no crescimento. É ainda mais perigoso quando a prima-dona é o Empresário.


Temos 2 perigos principais nesta fase de diversão!

Tenho visto muitas empresas que foram sobrefinanciadas inicialmente e, por isso, ao não necessitarem de lutar pelo dinheiro como é habitual, pensam que estão em diversão não estando. Essa má interpretação pode levá-los a tomas decisões erradas com resultados dramáticos.

O segundo perigo prende-se com o descontrolo dos custos. O aumento significativo das vendas cria, muitas vezes, a ilusão de que o ritmo de crescimento se vai manter para sempre ou confundem vendas com lucro e com dinheiro e podem tomar muitas decisões erradas que põem a causa a própria sobrevivência do negócio.

Tratam os custos com menos cuidado, exagera-se também nos investimentos e o empresário consome pessoalmente recursos que são do negócio e que fazem falta ao mesmo. Tudo isto tira do negócio dinheiro que faz falta para financiar o crescimento futuro.

 

Saiba mais AQUI sobre a fase que antecede esta no ciclo de vida do crescimento de um negócio: a luta inicial!

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notifique-me se