A vida do Joaquim mudou radicalmente desde a sua primeira venda!!!

A sua agenda foi o que mais mudou nos primeiros tempos, ficando muito preenchida. Horas definidas para as suas chamadas telefónicas, muitas reuniões agendadas e muito tempo para pesquisa das empresas dos seus potenciais clientes…

Algo interessante começou também a suceder interiormente: ele já não era o mesmo.

♦ Quantas mais chamadas telefónicas fazia, mais confiante se sentia;

♦ Quanto mais treinava a sua apresentação de reunião de vendas, mais seguro ficava;

♦ Quanto mais aperfeiçoava o seu dossier de vendas, mais motivado estava.

Foram muitas horas a organizar, a estudar, a praticar e a polir tudo o que necessitava para ser um bom vendedor.

Sentia-se muitas vezes como se estivesse a construir uma casa. Todos estes elementos em que trabalhou durante semanas a fio eram os alicerces da mesma.

O monstro da gestão do tempo

Já não sendo a sombra do Luís (ainda o melhor vendedor da empresa), o Joaquim ainda o procurava quando estava mais stressado.

E as situações não paravam de surgir todos os dias. No entanto, um dos maiores monstros que começou a aparecer na sua vida comercial foi a sua gestão de tempo. Ou eram os clientes que lhe ligavam quando estava a fazer a prospeção de novos clientes… Ou eram os colegas com dúvidas… Ou então o seu diretor de vendas a avisá-lo sobre o esquecimento de um papel no processo.

As interrupções eram constantes e não escolhiam hora para chegar. O Joaquim sentia-se puxado em todas as direções e sentidos.
Começou a sentir que só respondia a solicitações e o tempo fugia-lhe das mãos.

Já tinha até começado a trabalhar durante o fim de semana, para conseguir resolver tudo.  As insónias voltaram e não via como resolver a situação!

E foi novamente numa conversa com o Luís que aprendeu a como gerir melhor o seu tempo. Uma das suas maiores surpresas foi aperceber-se que nem todas as atividades têm o mesmo nível de importância. A interrupção de um colega não se pode sobrepor a um telefonema para um cliente, por exemplo.

“E isto porquê?”, dizia o luís.
“É o telefonema para o cliente que vai colocar dinheiro na tua conta no final do mês… Não a ajuda ao teu colega. Não te estou a dizer, com isto, que não os ajudes, ok? Por acaso já te apercebeste que só falamos no final do dia? Eu falo com todos… Mas só depois das 18h.

Outra dica que o Luís lhe deu foi:

“Nunca comeces a fazer as coisas sem as teres planeadas anteriormente.”

“Por incrível que possa parecer, desde que comecei a planear todos os meus dias passei a ser uma pessoa mais calma. 
Começo sempre com as minhas atividades mais importantes pela manhã, fazendo logo o que me traz mais rentabilidade.
Mesmo que seja interrompido com alguma situação não prevista, estou calmo porque sei que as coisas realmente importantes já foram feitas logo pela manhã.”

Um novo ponto de viragem para o joaquim!

Mas para o Joaquim a maior lição veio já perto da hora do jantar e a conversa teve de continuar numa tasca perto da empresa.

Entre umas cervejas e uns petiscos, o Luís explicava-lhe em detalhe uma das leis que o mais tinha ajudado nas suas vendas.

“Pa… Quem?”

“Pareto. Lei de Pareto” , repetiu o Luís.

“Não estou a entender o que a lei desse senhor tem a ver com as minhas vendas”, disse o Joaquim.

“Vivemos num planeta regido por leis,  Joaquim. A mais conhecida por todos é a lei da gravidade e mesmo não sabendo o seu nome, todos conhecem o seu funcionamento e as suas consequências. A lei de Pareto também existe e quem a entende é o verdadeiro mestre da produtividade e da gestão de tempo“, afirmou com convicção o Luís.

“Uau… É assim tão boa?”, perguntou o Joaquim.

“Escuta com atenção e dir-me-ás no final se te parece algo interessante a aplicar nas tuas vendas.
Ora bem… O que a lei de Pareto nos diz é que 20% do que fazemos durante o dia são responsáveis por 80% dos nossos resultados.”

“Vou repetir novamente: apenas 20% dos nossos esforços resultam em 80% dos nossos resultados.
Deixa-me perguntar-te: consegues identificar estes 20% no teu dia a dia?”

“Hmm…Deixa-me ver… As minhas chamadas telefónicas, as minhas reuniões… Não estou a ver mais…” , enumerou o Joaquim.

“Muito bem… Se queres aumentar seriamente as tuas vendas, tens de começar a escolher muito criteriosamente estas novas atividades a que alocas o teu tempo. Atividades em que só terás 20% de esforço para 80% dos resultados.

20% de esforço para 80% dos resultados

Vou dar-te uma ideia: em vez de andares a falar individualmente com as empresas porque não falar com alguém que já tenha uma carteira de clientes, que tem o tipo de empresas que geralmente compram o nosso produto?” , questionou o Luís.

“Não sei quais serão essas empresas…” – disse pensativo o Joaquim.

“Muito me admira considerando o teu passado como contabilista”, brincou o Luís.

“As empresas de contabilidade são perfeitas para testares a lei de Pareto, Joaquim!
Ao fazeres uma parceria com eles, estás a ter acesso a um grupo de empresas que confiam no seu contabilista e ouvem o que ele lhes diz. Ou seja, numa hora de reunião presencial com ele podes ter acesso a 20 empresas, por exemplo.
Quantas horas estás a demorar para te reunires com 20 empresas? 1 semana? Semana e meia?
20% de esforço para 80% de resultados, entendeste?”

Tudo o que Joaquim ouvia fazia muito sentido e estava disposto a tentar.
Afinal, todas as dicas que o Luís lhe tinha dado até agora tinham funcionado na perfeição e com grandes resultados!

“São coisas muito simples, Joaquim, que fazem toda a diferença… Se repetidas diariamente e de forma disciplinada”, reforçou o luís.

Para ser o melhor vendedor da empresa, teria de continuar a aprender com os melhores e o Luís tinha-se provado, vezes e vezes sem conta, realmente o melhor. Que ajuda preciosa!

Leia AQUI >> a primeira parte da história do Joaquim!!!

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notifique-me se