Tem medo de fazer crescer a sua empresa? Conteúdos Paulo de Vilhena

Todos temos medos, e os empresários não são exceção. Já investiguei sobre este assunto, e os principais medos dos empresários são os mais comuns, como o medo de falhar, o medo de não ter capacidade para honrar os seus compromissos ao final do mês, o medo dos clientes não ficarem satisfeitos, o medo de perder todos os clientes… Mas na lista dos seus maiores medos aparece também um quase paradoxal: o medo de fazer crescer a empresa.

Por que terão os empresários medo de fazer crescer a empresa?

A maioria dos empresários são técnicos que criaram a sua própria empresa, na sua área de especialização. E, na maior parte dos casos, ainda têm um envolvimento muito elevado com as fases produtivas, mantendo assim um controlo muito apertado das pessoas e do que se faz internamente.

Estes empresários têm um sentido de posse muito grande sobre tudo o que é feito na empresa. Nada nem ninguém tem realmente autonomia para assumir a responsabilidade sobre os processos internos. É tudo efetuado sob a vigilância apertada do empresário.

Isto torna o crescimento muito difícil. Pois implica um aumento do número de horas de trabalho do empresário – que já trabalha normalmente mais horas do que gostaria – ou que este delegue verdadeiramente noutras pessoas algumas responsabilidades.

Mas será que os empresários estão preparados para delegar?

Na maioria dos casos, eles não estão preparados para delegar. Porque sentem sempre que perder o controlo absoluto implica uma diminuição da qualidade do trabalho efetuado. Interiorizaram que ninguém faz o trabalho tão bem como eles e que, se eles não acompanharem de perto todas as tarefas operacionais da empresa, ela se vai ressentir no curto ou médio prazo.

A minha visão…

Eu acredito que o que não cresce vai inevitavelmente decrescer. E, pior, quando entramos num ciclo decrescente é mais difícil inverter a tendência e voltar a crescer. Seguindo este raciocínio é muito importante manter os objetivos de crescimento sempre em mente. E é fundamental que o empresário entenda que para conseguir este crescimento tem inevitavelmente que delegar. Não há forma de continuar sempre a crescer mantendo o controlo absoluto da operação.

Os empresários têm de confiar e têm de encontrar as pessoas certas para colá-las a fazer as coisas certas. É fundamental ter uma visão, objetivos bem definidos e um plano, garantindo a execução consistente desse mesmo plano. Para tal, é preciso ter indicadores financeiros e operacionais que o empresário siga e que partilhe com os funcionários, de forma a manter o controlo da situação. Atenção que delegar não é abdicar. 

É igualmente importante manter o ritmo interno. O empresário tem de controlar e mostrar a todos os funcionários que o está a fazer. Deve realizar reuniões periódicas com o objetivo de garantir o alinhamento, envolvimento e motivação da equipa. Estas reuniões devem ser totalmente baseadas nos indicadores financeiros e operacionais do negócio. Porque estes indicadores são os manómetros do negócio, que ajudam a conduzir o barco.

Em conclusão, crescer é mandatório para qualquer negócio. Mas para isso o empresário tem que estar disponível para delegar, sem nunca abdicar das funções! Então deve delegar com método e com controlo.

Mariana Arga e Lima

Business and Executive Coach na Paulo de Vilhena Business Excelerators

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notifique-me se