Atualmente, as pessoas que têm alguma liquidez investem com frequência em depósitos a prazo. Este é o tipo de investimento com o qual, provavelmente, a maior parte das pessoas se sente mais confortável. No entanto, está longe de ser uma boa opção quando se trata de gerar ou conservar riqueza.

Quem opta pelos depósitos, como forma de investir as suas poupanças, fá-lo pela ilusão da segurança, de o banco lhe garantir uma determinada rentabilidade.

No entanto, existem vários riscos associados ao investimento em depósitos!

Risco de o banco não cumprir com a sua obrigação

Embora tendamos a negligenciá-lo, este é um risco real! Tal como a História já provou diversas vezes, os bancos não são instituições inabaláveis. Em Portugal, temos casos de bancos falidos e vários bancos intervencionados pelo Estado. Portanto, a segurança de um depósito a prazo, mesmo em termos de capital inicial, depende sempre da capacidade de o banco devolver o dinheiro depositado, ou seja, da sua solidez financeira.

Perda do poder de compra pelo efeito da inflação

Os depósitos podem ser um investimento muito confortável, porém, são um erro do ponto de vista da caminhada para a independência financeira. Porque geram um rendimento que historicamente se situa abaixo da inflação – tradicionalmente a cerca de 2% dependendo da conjuntura. A inflação, em termos médios, costuma andar acima dos 3%.

Assim, trata-se de um ativo que não se confirma como uma boa opção, face à valorização do património e aproveitamento da capitalização. O dinheiro investido em depósitos destrói o seu valor patrimonial, refletido no seu poder de compra.

Custo de oportunidade

Existe ainda um custo de oportunidade, isto é, a rentabilidade que conseguiríamos da nossa poupança se escolhêssemos outra opção para investir.

Descubra neste artigo os 4 aspetos que deve ter em conta antes de investir.

Gostou deste artigo? Se quer receber quinzenalmente conteúdos como este, então subscreva a nossa newsletter aqui!

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notifique-me se