No último dia 12 de abril foi apresentado um estudo por uma fundação portuguesa no qual se estima que a idade da reforma deve aumentar até aos 69 anos, em 2025, de modo a evitar que o pagamento de pensões tenha que ser feito com recurso ao Fundo de Equilíbrio Financeiro da Segurança Social.

Após a apresentação do estudo, que apontava para a necessidade de aumentar a idade da reforma em três anos, multiplicaram-se as publicações nas redes sociais que entenderam essa proposta inscrita num estudo como um dado adquirido. E o caos instalou-se entre os contribuintes mais desatentos.

Mas, independentemente de nos próximos anos a idade da reforma vir a aumentar ou diminuir, assim como o valor das pensões, haverá realmente motivo para nos preocuparmos?

Na verdade, se realmente procuramos a independência financeira, termos assegurada uma pensão quando já não estivermos em idade ativa não nos deve deixar minimamente descansados. Por isso, devemos preocuparmos (sim!) com alcançar a nossa independência financeira e com não dependermos de nenhuma instituição para garantir que vamos viver como desejamos no futuro.

Para mim o grande objetivo de vida a nível das Finanças Pessoais é chegar a uma fase em que os ativos em que pessoalmente investi alimentam o estilo de vida que eu quero levar sem nenhum tipo de limitação.

Isto para que eu possa levar o estilo de vida a que aspiro sem destruir nenhum tipo de riqueza. Porque a partir do momento em que começamos a destruir riqueza, a nossa independência financeira passa a depender do ritmo dessa destruição e do número de anos que vivamos.

Ora, de acordo com um estudo realizado em vários países desenvolvidos, apenas 3% das pessoas conseguem chegar à reforma sem depender de mais ninguém. Apenas uma percentagem muito reduzida de nós é capaz de levar o estilo de vida que pretende, sem limitações, vivendo apenas do retorno dos ativos em que investiram pessoalmente e sem consumir nenhum tipo de riqueza. 

Os outros 97% dependem de alguém ou de alguma coisa, seja de um regime de Segurança Social, de caridade, de apoio familiar ou mesmo de continuar a trabalhar depois da idade da reforma. Isto porque durante a sua vida de trabalho não conseguiram acumular dinheiro ou ativos que depois os sustentassem durante a reforma.

Se também está decidido a alcançar a sua independência financeira, partilho consigo as 7 Chaves de Ouro Rumo à Independência Financeira neste artigo,  para que não tenha mais de preocupar com a sua reforma.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notifique-me se