Quer ser a águia ou a galinha? | Conteúdos Paulo de Vilhena
EBOOK GRATUITO - VENDAS, LUCRO E FLUXO DE CAIXA
EBOOK GRATUITO - VENDAS, LUCRO E FLUXO DE CAIXA
Fazer Download Fazer Download

Hoje ouvi uma história que me pareceu maravilhosa. Gostaria de a partilhar convosco até porque tem muito enquadramento nas dúvidas do nosso dia a dia em relação à postura que tomamos e ao que escolhemos fazer com as nossas vidas. A história é sobre uma águia.

Na sua pequena quinta o Sr. Manuel tinha galinhas. Tomava conta das suas galinhas com muito cuidado. Limpava o espaço delas diariamente, alimentava-as três vezes ao dia e diariamente verificava se estava tudo bem com as suas aves. Elas sentiam-se muito confortáveis. Não lhes faltava nada, mas o seu destino também estava traçado à partida. O Sr. Manuel cuidava muito bem das suas galinhas, dava-lhes a melhor comida. Assim garantia que, quando chegasse altura de as comer, o seu alimento era da melhor qualidade.

Para quem não sabe as galinhas, principalmente as domésticas, são as aves mais medrosas de todas. Embora tenham asas não voam. Têm medo de tudo, não saem do mesmo sítio e dependem totalmente dos seus donos para sobreviver. Sentem-se muito bem num local muito protegido e são fiéis aos seus donos – apesar de, na maior parte dos casos, eles apenas cuidarem delas para mais tarde as colocarem no tacho!

Ora, um dia o Sr. Manuel foi ao galinheiro e percebeu que do alto tinha caído um ovo maior do que os que tinha por lá. Não era de galinha de certeza. Analisou com atenção e percebeu que era um ovo de águia, que com a queda se começava a partir.

Ficou à espreita com curiosidade até que de lá de dentro saiu uma águia bebé.

Ao início ficou confuso sobre o que deveria fazer. Não podia deitá-la fora, mas também não sabia como a poderia manter. Apesar de saber que também era uma ave, sabia que as caraterísticas da águia eram totalmente diferentes das galinhas.

Em oposição à medrosa galinha, a águia é uma das aves mais independentes e poderosas. É um animal que voa muito alto, tem um porte potente, um bico muito forte e uma visão muito poderosa. É capaz de avistar um rato a vários quilómetros de distância e tem uma grande rapidez de voo. Para além disso, é a ave com maior longevidade.

O Sr. Manuel ficou com muito receio em manter a águia no meio das galinhas, mas acabou por deixar a águia permanecer, mantendo uma vigilância mais apertada do galinheiro e acreditando que, enquanto bebé, a águia não lhe iria criar problemas.

Nos primeiros dias as galinhas estranharam aquele ser um pouco diferente, mas rapidamente adotaram a águia como uma delas. Passeavam juntas, comiam juntas, dormiam juntas. Ela integrou-se na perfeição. Já andava atrás das outras, comia milho também e pareciam viver numa harmonia enorme. A águia sentia-se igual às suas “irmãs” galinhas.

Mas houve um dia em que olhou para o céu… E no céu viu um pássaro enorme a voar.

Foi nesse dia que se deu o “clique” na cabeça da águia! Começou a voar e nunca mais voltou ao galinheiro!

E você? Será que anda a olhar para o céu? Ou anda a comportar-se como um prisioneiro, a seguir as galinhas que estão à tua volta?

Quando ouvi esta história, ela levou-me para uma profunda reflexão, reflexão essa que proponho que também faça na sua vida.

Mariana Arga e Lima
Business and Executive Coach na Paulo de Vilhena Business Excelerators

 

 

Write A Comment