Todos os seus gastos são necessários? Analise bem | Paulo de Vilhena

A Lei de Parkinson, aplicada às finanças pessoais, revela-nos que os nossos gastos crescem na direta proporção das nossas receitas. Isso torna mais complicada (ou melhor, desafiante!) a nossa missão de reunir massa crítica para realizar os nossos investimentos ou criar uma poupança.

Independentemente dos nossos ganhos, temos de conter os gastos o mais possível abaixo das nossas receitas. Só assim conseguiremos alcançar a independência financeira.

Então, para conseguir fazer esse controlo a primeira tarefa a realizar consiste em ter uma perceção real das nossas despesas.

Portanto, comece por fazer uma lista dos seus gastos habituais.
Depois faça uma análise dessas despesas no sentido de ver onde poderia reduzir pelo menos 10% em cada uma das áreas.

Verá que é possível fazê-lo sem alterar a sua qualidade de vida.

Vejamos onde poderia aplicar essa redução:

Alimentação

Gastar muito dinheiro em alimentação nem sempre é sinónimo de comer bem do ponto de vista da sua saúde. Procure adotar um plano de alimentação mais saudável. Quer no restaurante, quer no supermercado, provavelmente as suas despesas com a alimentação irão diminuir.

Habitação

Se tiver casa própria e se o mercado estiver a subir, pode tentar renegociar os juros das prestações com o banco. Ou se o mercado imobiliário estiver em descida, pode vender a sua casa e encontrar outra tão boa ou melhor por um preço mais adequado.

Se pagar uma renda e for um inquilino responsável, o senhorio talvez não se importe de reduzir o valor para manter a casa arrendada a alguém com quem sabe que pode contar. Pode também procurar casas cuja renda seja menor. Talvez mais perto do emprego ou da escola dos seus filhos. Assim conseguirá também uma redução nas despesas em transportes.

Despesas domésticas

Nas despesas domésticas será fácil conseguir uma poupança mensal mais elevada do que os 10%. Pode substituir lâmpadas por outras mais económicas, alterar tarifas e renegociar serviços de televisão, telefone ou Internet, por exemplo. Confira os preços que estão a ser praticados atualmente e avalie a sua situação.

Transportes

Talvez possa andar mais a pé ou de transportes públicos, começar a usar um combustível mais económico, ou ainda otimizar o uso e manutenção do seu carro para que gaste menos dinheiro na oficina.

Saúde

Se cuidarmos mais da alimentação e procurarmos estar em boa forma física, provavelmente seremos mais saudáveis e gastaremos menos nessa área. Podemos também otimizar os nossos programas de saúde.

Lazer

Tente perceber exatamente o que lhe dá mais prazer e seja mais cuidadoso nas escolhas que faz para que, com muito menos dinheiro, se divirta mais.

Vícios

A despesa deverá ser completamente erradicada! Se são vícios, só fará bem em eliminá-los.

Se procurar bem encontrará alternativas para atingir este objetivo de reduzir os seus gastos em 10% sem diminuir a sua qualidade de vida.

Se o dinheiro que conseguir poupar em cada uma destas áreas for usado para pagar uma dívida ou para iniciar uma poupança pode certamente alterar o caminho da sua vida financeira.

Gostou deste artigo? Se quer receber quinzenalmente conteúdos como este então subscreva a nossa newsletter aqui!

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notifique-me se