O sucesso pode ser um problema - Conteúdos Paulo de Vilhena

A resistência à mudança pode travar o crescimento.

Na minha experiência em coaching empresarial, interajo diariamente com inúmeros empresários, de várias idades, múltiplas indústrias, com experiências profissionais diversificadas e com comportamentos muito díspares.

Neste contexto conheci alguns empresários de muito sucesso que mantém a humildade de querer aprender sempre mais, disponíveis para evoluir constantemente e totalmente abertos a novas experiências.

Por outro lado, conheci também um grupo numeroso de empresários que, tendo tido muito sucesso no passado, se encostam a essas experiências ganhadoras para permanecerem na sua zona de conforto, acreditando fortemente que aquilo que lhes trouxe o sucesso no passado, lhes irá certamente manter o sucesso no presente e no futuro.

Essa perspectiva não seria tão desastrosa se o mercado não estivesse em constante evolução.

Essas mudanças implicam que as soluções encontradas no passado, já não servem o mercado hoje em dia da melhor forma e que, no futuro, se mantiverem a mesma abordagem os resultados vão baixar paulatinamente, resultando no declínio da empresa e do negócio.

Uma das minhas referências nesta área é um livro “O que o fez chegar aqui, não o leva mais além”, onde Marshall Goldsmith explica na primeira secção este fenómeno do problema do sucesso.

É um livro muito interessante e que recomendo a sua leitura a todos os empresários que queiram continuar a sua evolução.

Mas será que os empresários têm a noção da realidade nas suas empresas?

Nas empresas que já têm um histórico de vários anos, em que o negócio sempre correu bem (pelo menos o suficiente para pagar as contas de uma forma confortável), os empresários tendem a desleixar-se um pouco na periodicidade e nos detalhes em que analisam o negócio.

Mesmo quando, ao longo dos anos, os lucros têm vindo a diminuir lentamente, eles encontram alibis externos para justificar as quebras, tais como a concorrência, a economia, o governo ou até os clientes.

Quando contactamos estes empresários e propomos uma intervenção, olham-nos com desconfiança e dizem: “Eu sei perfeitamente como isto é. Já cá ando há muitos anos. Já experimentei de tudo. Não há nada que se consiga fazer!”.

Conhece alguém assim?

A esta pergunta normalmente respondemos: “Sim, tenho um amigo que é assim!”. Mas, na verdade, se conseguirmos ser realistas, conseguimos perceber que todos nós temos momentos em que somos assim.

Todos nós fugimos de ver a realidade como ela é quando não gostamos daquilo que vemos, refugiando-nos em desculpas para não estarmos a alcançar os nossos objetivos, colocando os nossos resultados como efeito de factores externos que não controlamos. Protegemo-nos, na maioria das vezes, na nossa zona de conforto.

E será possível convencer os empresários a mudar as suas ações e atitudes?

É um grande desafio! A única forma que conheço é mostrar-lhes a realidade nua e crua.

É conseguir fazê-los ver que a situação atual é pior do que eles pensam e, se não for já, no momento de análise, irá ser num futuro breve se a tendência se mantiver.

Não é simples conseguir obter o tempo e a atenção destes empresários, mas quando consigo passar este filme de uma forma realista e credível, a maioria dos empresários começa a querer ouvir aquilo que tenho para lhe dizer, começa a demonstrar interesse por novas abordagens, começa a procurar novas soluções e novos caminhos, começa a assumir a responsabilidade pelos novos caminhos que a empresa pode tomar.

A base de toda a nossa metodologia de apoio às empresas começa com os números. Os números são fundamentais neste processo para demonstrar a realidade como ela realmente é.

Os indicadores são também essenciais na análise daquilo que irá ser o futuro se mantivermos as estratégias atuais. São a realidade mais pura. São inquestionáveis.

E por isso o conselho que damos a todos os empresários com que trabalhamos é para terem sempre os números da sua empresa atualizados, olharem para eles com toda a atenção e que mantenham a visão o mais realista possível, pois só dessa forma é possível encontrar os melhores caminhos para o seu negócio em constante evolução.

Gerir é medir!

 

Business and Executive Coach na Paulo de Vilhena Business Excelerators

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notifique-me se