O que nos coloca no Top 20 %? | Conteúdos Paulo de Vilhena

A Lei de Pareto é uma das leis principais da estatística e tem reflexo em tudo o que nós fazemos na vida. Esta lei diz que há um equilíbrio de 80/20 para tudo o que fazemos na vida.

Então apliquemos esta lei ao mercado imobiliário. Nós vamos ter 20 % dos consultores imobiliários inevitavelmente a fazer 80% das vendas do setor. Isto significa que, da mesma forma, os restantes 80% dividem entre si apenas 20 % das vendas do mercado. Ou seja, são poucos a dividir a maior parte das vendas e muitos a dividir muito pouco.

Este princípio é absolutamente crítico. Já pensou de que percentagem quer fazer parte?

Nós vivemos numa sociedade extremamente competitiva, em que nos ensinam desde sempre a sermos melhores do que os outros. No entanto, a maior parte de nós faz parte dos 80% por defeito.

Então o que nos coloca no 20 %?
Existe um princípio comportamental que considero número um na vida, seja profissional seja pessoal. É o princípio da responsabilidade.

Todos nós temos a tendência de dar uma série de explicações para os nossos resultados, principalmente quando estes são menos bons. O mercado, o fisco, a família, a altura do ano… qualquer coisa pode servir de álibi para não termos mais resultados. Porém, enquanto tivermos um álibi não vamos ter mais resultados. Porque enquanto as pessoas encararem essas justificações como um factos, haverá sempre um motivos aparentemente sólidos e verdadeiros para não aparecerem com resultados diferentes.

Contrariamente, a responsabilidade é habilidade de encontrar respostas. Essa capacidade coloca-me nos 20 %.Enquanto as justificações me colocam nos 80%.

Então cada vez que um consultor imobiliário conta a si próprio uma história que justifica os resultados não serem melhores, está desenvolver e a cultivar a mentalidade que o afasta dos 20 %. A interpretação que faz de um conjunto de acontecimentos mais ou menos factuais justifica que os resultados não apareçam. No entanto, os nossos resultados não dependem do que nos acontece na vida. Não dependem da economia, do mercado, da escola onde estudámos, do local onde trabalhamos…

Os nossos resultados dependem das escolhas que tomamos e das decisões que tomamos sobre tudo isso.

Como dizia Jim Rohn, não é o soprar do vento que influencia o destino do barco. É o armar da vela. A vela é a nossa atitude, a nossa maneira de pensar. É o princípio da responsabilidade, independentemente daquilo que nos aconteça. 

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notifique-me se