ALAVANQUE OS SEUS RENDIMENTOS | Paulo de Vilhena

No progresso em direção à independência financeira é crucial entender o conceito de alavancagem. Ou seja, a nossa capacidade de multiplicar o resultado do nosso esforço e assim obter maiores rendimentos.

Isto porque a chave para a criação de fortuna não está no número de horas que trabalhamos, mas no valor que colocamos nas nossas horas de trabalho. Até porque o nosso dia, à semelhança do dos demais, nunca terá mais do que 24 horas.

Assim o tempo humano é limitado, mas não há limite para o valor que podemos acrescentar a esse tempo. Nesse sentido, o conhecimento da escada da independência financeira possibilita-nos ter uma consciência mais clara do nível de alavancagem dos nossos rendimentos.

 

1.° nível de alavancagem: o empregado

O empregado possui um nível de alavancagem praticamente inexistente. Quando trabalhamos por conta de outrem, trocamos um determinado número de horas por semana por uma determinada remuneração, que tende a ser fixa. Por isso, a nossa capacidade de multiplicar o resultado do esforço é muitíssimo limitada. Para ganharmos mais dinheiro, temos quase invariavelmente de trabalhar mais horas.

2.° nível de alavancagem: o autoempregado

Um profissional que se estabelece por conta própria e emprega outras pessoas na sua empresa, ganha a possibilidade de ser remunerado pelas horas de trabalho desses outros colaboradores. No entanto, o seu nível de alavancagem continua a ser muito baixo, porque a empresa necessita do próprio dono – enquanto técnico ou especialista – para assegurar as operações. Ou seja, continua a depender das horas de trabalho de uma pessoa. Então, se este não colocar mais horas de trabalho no negócio, também não ganha mais dinheiro.

3.° nível de alavancagem: o empresário

A partir do momento em que temos uma hierarquia que assegura o funcionamento operacional da empresa sem que precisemos de estar direta e permanentemente envolvidos, o nosso trabalho passa a ser pensar, ter ideias e tomar decisões. Assim, o empresário é remunerado essencialmente pelo esforço das outras pessoas e não diretamente pelas suas horas de trabalho.

4.° nível de alavancagem: o investidor

Um investidor é alguém que tem participações financeiras várias e cujo trabalho consiste em controlar os indicadores de desempenho dos seus ativos e tomar decisões sobre a alocação do capital que estes ativos geram. O investidor já não precisa de estar envolvido numa atividade económica para que esta lhe gere um retorno. Já é o dinheiro que trabalha para ele. E já não tem esforço envolvido de forma direta nos seus rendimentos. Ou seja, consegue mais resultados com menos esforço.

Resumindo, como empregados e autoempregados temos um esforço máximo que se traduz numa remuneração correspondente às horas de trabalho, enquanto como empresários, e mais ainda como investidores, o esforço é mínimo. E a este nível, horas e remuneração não têm necessariamente uma correlação.

 

Gostou deste artigo? Se quer receber quinzenalmente conteúdos como este subscreva a nossa newsletter aqui!

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notifique-me se