CURSOS ONLINE DISPONÍVEIS AQUI
CONHEÇA OS NOSSOS CURSOS ONLINE
Próxima Página Próxima Página

Conquistar a independência financeira é possível. Partilho consigo 8 dicas que, na minha opinião, podem fazer a diferença nos seus resultados financeiros.

Sou apaixonado por independência financeira. Escrevi inclusive o livro O Mapa da Independência Financeira e trabalhei durante 10 anos como gestor de fortunas na banca, onde tive a oportunidade de aprender com multimilionários aquilo que fazia a diferença nos seus resultados.

Ao fim de uma década comecei a interrogar-me sobre a origem dos seus resultados e as razões que os levavam a conseguir acumular milhões. Ao gerir uma parte importante dos seus patrimónios pude entender e aplicar na minha vida alguns desses princípios básicos sobre independência financeira, que vou partilhar aqui consigo.

 

1 – Riqueza do Pensamento

Mais do que o dinheiro que temos na carteira e na conta bancária, a forma mais profunda de riqueza, acredito eu, começa pelo nosso pensamento.

A nossa maior riqueza é o nosso pensamento.

É o seu pensamento, são as suas ideias, que podem transformar-se em dinheiro. E mais do que isso, pode perder todo o seu dinheiro… Mas, enquanto conservar as suas ideias, tem sempre a capacidade de o recuperar, de fazer outra vez aquilo que eventualmente, por alguma razão, possa não ter corrido bem.

Se pensar um pouco, a esmagadora maioria das pessoas que ganha muito dinheiro, seja por herança ou no jogo, perde-o rapidamente, e sabe porquê?
Porque essas pessoas ganharam esse dinheiro não através do seu mérito pessoal, mas de alguma maneira o dinheiro chegou-lhes facilmente.

Quanto mais facilmente as coisas chegam, mais facilmente as perdemos.

Agora, quando ganha esse dinheiro, não fruto da sorte, nem do destino, mas fruto das suas ideias e do seu pensamento, pode sempre voltar a fazer outra vez e outra vez…

Aliás, qualquer milionário estará de acordo em que o primeiro milhão é o mais difícil de fazer, não é? Construir riqueza a primeira vez é o mais difícil, depois é simplesmente aplicar a mesma receita. Isto é um pouco como estar na cozinha e fazer um prato. Confecioná-lo bem feito à primeira é o mais difícil. A partir do momento que fica bom é só replicar a mesma receita.

O primeiro passo para a riqueza financeira e para a riqueza da sua carteira, que é a forma de riqueza mais profunda, é a riqueza do pensamento.

 

2- Lei de semear e colher

O que eu aprendi com os meus clientes multimilionários, e mais tarde vim a confirmar em livros e na minha própria vida, é que há uma série de leis que regem a criação de riqueza, assim como regem a nossa vida e a nossa existência. Quando eu ajudo empresas a crescer, comerciais a vender mais, pessoas a ganhar mais dinheiro, o meu trabalho passa pelo entendimento cada vez mais profundo dessas leis e princípios.

Quanto melhor entender essas leis e princípios que regulam a nossa existência, maior será a sua capacidade de os aplicar e assim atingir melhores resultados.

Provavelmente, a lei da vida mais importante e, por consequência, a mais importante da criação de riqueza, é a lei de semear e colher.

A lei de semear e colher é nada mais do que a versão bíblica da lei de causa e efeito.

A lei de causa e efeito diz que tudo o que tem na vida são efeitos com causas a montante, ou seja, aquilo que colhe na vida foi aquilo que semeou.

Se quer independência financeira tem de semeá-la. Se quer mais dinheiro na conta bancária tem de semear esse dinheiro.

O dinheiro é como uma semente.

Então a mais pequena parte dessa semente deve ser usada para consumo, e a maior parte dela deve ser colhida e aplicada noutra sementeira.

 

3- Não é quanto ganha e sim o que faz com esse dinheiro

Há sempre uma parte da semente que colhe que tem de voltar a ser semeada e quanto maior for a parte que voltar a semear, maior é a sua colheita no futuro.

O princípio básico da criação de riqueza é que não pode gastar todo o dinheiro que ganha.

Maioritariamente, as pessoas gastam todo o seu dinheiro em consumo. Pior ainda é quando gastam o dinheiro sem ainda o terem recebido, ou seja, sem antes o terem ainda semeado e pensando no que vão ganhar nos anos seguintes. Do ponto de vista da lei de semear e colher isto é o suicídio.

Nunca consuma tudo aquilo que ganha.

Ter melhores condições de vida não depende do governo, da economia, da empresa nem do patrão. Depende sim do entendimento numa primeira fase da lei de semear e colher. Se comer tudo o que semeia, não tem a mais pequena hipótese. Se comer por conta do que há-de semear no futuro então está a cometer suicídio financeiro.

O que faz a maior diferença não é o que ganha e sim o que faz com aquilo que ganha.

É fácil gastar muito dinheiro. A lei de Parkinson diz que as nossas despesas crescem na direta proporção das nossas receitas. Quanto mais dinheiro ganhamos, mais tendemos a gastar. Procuramos uma casa maior, um carro melhor, vamos a restaurantes mais caros e muitos outras coisas. Ou seja, podemos ganhar muito dinheiro, mas a nossa tendência é fazê-lo desaparecer.

Não comprometa o seu futuro para viver um estilo de vida acima daquilo que pode sustentar.

 

4- Pilares básicos da criação de riqueza

São dois os pilares básicos da criação de riqueza:

1- Capacidade de criar fluxo de caixa, ou seja, de gerar dinheiro. Quanto maior a sua capacidade de gerar dinheiro, maior a sua capacidade de poupar.

2- Ter uma base de ativos que gera mais fluxo de caixa. Comprar coisas que criam outras receitas, que geram retorno, por exemplo, imóveis ou mercadorias que se valorizam.

 

5- Adiar a Gratificação

Algumas pessoas até conseguem poupar algum valor todos os meses e chegam ao final do ano, imaginemos, com 1000 euros. Mas depois usam esse dinheiro para ir de férias, para dar entrada num automóvel… ou seja, gastam esse dinheiro.

A maioria das pessoas poupa durante um ano para gastar mais tarde.

É crítico adiar a gratificação e compreender que não deve consumir a semente, mas sim semear para colher a longo prazo.

Diga não há gratificação imediata!

 

6- A casa é um mal necessário

A casa é um mal necessário porque não gera receita, mas gera despesa. Quanto maior e melhor for a sua casa, maior será a sua despesa.

A  casa é um mal necessário, mas ter casas não é!

Viva em casa arrendada e compre casas para arrendar! Essa sempre foi a minha filosofia desde que aprendi a semear uma parte da semente que colho.

 

7- Elimine a dívida da sua vida

A dívida é o cancro das suas finanças pessoais.

O coração das finanças pessoais é a ideia da capitalização, o juro composto.

Sem entender o funcionamento do juro composto é praticamente impossível criar algum tipo de independência financeira, sabe porquê? Porque o juro composto é o juro sobre juro.

É o juro composto que faz com que 150 euros por mês se transformem num milhão ao fim de 40 anos.

O juro composto é a forma mais brilhante da matemática: uma curva de massa crítica. É a curva exponencial, já dizia o Albert Einstein. Isto significa que os 10% sobre os 10% sobre os 10% ao longo de 40 anos fazem disparar o motor que multiplica ao seu dinheiro.

Juro sobre juro funciona nas poupanças mas também funciona na dívida.

Quando consolida os seus créditos é como se estivesse a pagar 4 vezes.

Só há 1 desculpa para contrair dívida, apenas uma justificação razoável! Ajudar a pagar uma casa que vai arrendar e mesmo assim essa dívida não deve ser a totalidade da casa.

 

8- Invista tempo a planear e orçamentar

Faça uma lista das suas despesas mensais e corte o que puder nessa lista, sem prejudicar a sua qualidade de vida.

Orçamente, decida quanto pode gastar, compare todos os meses quanto gastou de fato e planeie.

Quase todos os milionários – e veja que mais de 90% por incrível que pareça vêm da classe média – são milionários porque planearam desde cedo esse objetivo.

Invista tempo, planeie quanto quer poupar num ano, quanto quer investir e como é que ao longo do tempo o seu dinheiro pode ir crescendo.

Sete anos é a média do tempo que as pessoas levam a fazer o seu primeiro milhão!

A independência financeira é possível!


Para conquistar a sua independência financeira, coloque em prática estes 8 princípios básicos. Acredite que não se vai arrepender!

♦ Riqueza do pensamento

♦ Lei de semear e colher

♦ Não é quanto ganha e sim o que faz com esse dinheiro

♦ Dois pilares básicos da criação de riqueza

♦ Adiar a Gratificação

♦ A nossa casa é um mal necessário

♦ Eliminar a dívida da sua vida

 ♦ Investir tempo a planear e a orçamentar

 

Write A Comment